Comissão da UE apela à adesão da Bulgária, Croácia e Roménia ao espaço Schengen — RT EN

16 de novembro de 2022 22h19

A Comissão Europeia pede que a Bulgária, a Croácia e a Roménia sejam integradas no espaço Schengen através da abolição dos controlos nas fronteiras internas da UE. A Croácia já foi aprovada pelo Parlamento da UE, mas pode haver votos contrários no caso da Romênia.

Fonte: Gettyimages.ru © Keith Binns

A Comissão Europeia exortou os Estados-Membros da UE a aprovarem a adesão da Bulgária, Croácia e Roménia ao Acordo de Schengen. Em relatório publicado no site oficial da Comissão em 16 de novembro Explicação diz que a gravação deve ocorrer “sem mais atrasos”. A Comissão da UE destacou:

“Durante anos, esses três Estados membros contribuíram significativamente para o funcionamento do espaço Schengen, inclusive durante a pandemia e, mais recentemente, depois de enfrentar as consequências sem precedentes da guerra na Ucrânia”.

Com esta justificação, a Comissão apelou à eliminação dos controlos nas fronteiras internas da UE contra os Estados mencionados. Ampliar o espaço Schengen tornará a Europa mais segura, mais próspera e mais atraente, disse a Comissão.

A Bulgária, a Croácia e a Roménia esperam aderir ao espaço Schengen em 2022. Atualmente, é composto pelos 22 países da UE e pelos quatro não membros Noruega, Islândia, Liechtenstein e Suíça. Em novembro, o Parlamento Europeu votou pela inclusão da Croácia no espaço Schengen. Apesar de ingressar na UE em 2007, a Bulgária e a Romênia não se tornaram membros da zona Schengen.

A Comissão da UE explicou que esses estados agora atendem aos requisitos de admissão total ao espaço Schengen por meio de “forte segurança nas fronteiras”, entre outras coisas. No entanto, a agência de notícias Bloomberg informou que o apoio à admissão da Romênia no espaço Schengen da Holanda e da Suécia ainda não é certo.

Mais sobre o assunto – Parlamento da UE aprova adesão da Croácia a Schengen

Ao bloquear o RT, a UE pretende silenciar uma fonte de informação crítica e não pró-ocidental. E não apenas no que diz respeito à guerra na Ucrânia. O acesso ao nosso site foi dificultado, várias redes sociais bloquearam nossas contas. Agora cabe a todos nós se o jornalismo além das narrativas convencionais pode continuar a ser praticado na Alemanha e na UE. Se você gosta de nossos artigos, sinta-se à vontade para compartilhá-los onde quer que esteja ativo. É possível porque a UE não proibiu nosso trabalho ou a leitura e compartilhamento de nossos artigos. Nota: No entanto, com a alteração da “Audiovisual Media Service Act” em 13 de abril, a Áustria introduziu uma alteração a este respeito, que também pode afetar os particulares. É por isso que pedimos que você não compartilhe nossas postagens nas redes sociais na Áustria até que a situação seja esclarecida.



Source link