Kyiv viola o direito internacional da guerra — RT PT

4 de agosto de 2022 14h57

De acordo com um relatório da Anistia Internacional, o exército ucraniano está violando o direito internacional da guerra. A organização de direitos humanos confirma o uso de armas em infraestrutura civil. Ela explicou que sua investigação encontrou dezenas de tais violações.

Violando o direito internacional da guerra, a Ucrânia está colocando em risco a vida de civis ao colocar deliberadamente equipamentos militares e armas em escolas e hospitais. Isso foi afirmado pela organização de direitos humanos Anistia Internacional em uma publicação publicada na quinta-feira relatório:

“Tais táticas violam o direito internacional humanitário e colocam civis em perigo ao transformar objetos civis em alvos militares”.

Tais táticas violam o direito internacional humanitário e civis em perigo, pois transformam objetos civis em alvos militares 👇https://t.co/EysZtcqqci

— Anistia Internacional (@anistia) 4 de agosto de 2022

Agnès Callamard, Secretária Geral da Anistia Internacional, enfatizou:

“Documentamos que as tropas ucranianas colocaram civis em perigo e violaram o direito internacional da guerra enquanto operavam em áreas densamente povoadas”.

O relatório observa que ativistas de direitos humanos registraram casos de forças armadas ucranianas atacando casas e usando armas em infraestrutura civil em 19 cidades e vilas ucranianas, incluindo Donbass, Kharkov e Nikolayev Oblasts. Além disso, de acordo com o relatório, a liderança militar ucraniana não evacuou a população dos prédios vizinhos para minimizar as perdas de um possível ataque de retaliação das forças armadas russas:

“O fato de estarem em uma posição defensiva não isenta os militares ucranianos de cumprir o direito internacional humanitário”.

Em particular, os especialistas da Anistia Internacional concluíram que 22 das 29 escolas que visitaram nas áreas do sudeste da Ucrânia abrigavam pessoal das Forças Armadas ucranianas ou equipamentos e armas militares ucranianas. A organização enfatizou que, por exemplo, em Odessa, soldados ucranianos estacionaram veículos blindados em áreas residenciais densamente povoadas e em Bakhmut usaram um prédio universitário como base militar. Segue dizendo:

“Pesquisadores da Anistia Internacional observaram que as forças ucranianas em cinco locais usavam hospitais como bases militares de fato. Em duas cidades, dezenas de soldados descansavam, brincavam e comiam nos hospitais. Em outra cidade, os soldados dispararam de perto do hospital.”

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova comentou Relatório da Anistia Internacional em seu canal Telegram afirmando:

“Falamos sobre isso constantemente, chamando as ações das forças armadas ucranianas de uma tática de usar civis como ‘escudos humanos’.”

Mais sobre o assunto – Crimes de guerra e mentiras – o ataque de Kiev a Yelenovka

Ao bloquear a RT, a UE pretende silenciar uma fonte de informação crítica e não pró-ocidental. E não apenas em relação à guerra na Ucrânia. O acesso ao nosso site foi dificultado, várias redes sociais bloquearam nossas contas. Agora cabe a todos nós se o jornalismo além das narrativas convencionais pode continuar a ser praticado na Alemanha e na UE. Se você gosta de nossos artigos, sinta-se à vontade para compartilhá-los onde quer que esteja ativo. Isso é possível porque a UE não proibiu nosso trabalho ou a leitura e compartilhamento de nossos artigos. Nota: No entanto, com a alteração do “Audiovisual Media Service Act” em 13 de abril, a Áustria introduziu uma alteração a este respeito, que também pode afetar os particulares. É por isso que pedimos que você não compartilhe nossas postagens nas mídias sociais na Áustria até que a situação seja esclarecida.





Source link